t: +55 16 3373-9428

Palestra – Bosch Engineering System – A Robust Design process and 3D Model applied in the complete product development chain

Sobre a Palestra

A palestra será realizada no dia 21/11/2014 às 10 horas em local a definir.

A inscrição deverá ser realizada através do link: http://goo.gl/forms/QL68nF9pe5 e o local da palestra será comunicado por e-mail na semana anterior à realização da palestra.

A palestra será ministrada pelo Sr. Erwin Franieck, Gerente de desenvolvimento da BOSCH.

Segue descrição da palestra:

Sistema de Engenharia Bosch – Um processo de desenvolvimento robusto e modelos 3D aplicados em toda a cadeia de desenvolvimento de produto.

O Sistema de Engenharia Bosch (Bosch Engineering System – BES) é um sistema integrado para o desenvolvimento de produto, baseado no profundo conhecimento do produto e nas relações de causa-efeito entre os requisitos do produto e suas características funcionais, buscando competências em centros de excelência de cada tecnologia e utilizando ferramentas de desenvolvimento e simulação de produtos com domínio completo delas. Além de se atentar para as competências dos engenheiros envolvidos, o BES incentiva seus gestores para participar gerenciando as equipes baseado na “liderança impulsionada por conteúdo”.

Na palestra vamos abordar um exemplo de projeto robusto aplicado na RBLA. Com um design robusto disponível e também uma ideia clara dos processos de fabricação envolvidos, buscamos automatizar a geração de dados de produção. Com base em um arquivo 3D elaborado de forma adequada, incluindo tolerâncias para o processo de fabricação em 3D, (exemplo: peças injetadas devem prever a linha de divisão e o ângulo de inclinação, etc.) através do uso de ferramentas de PLM e simulações, obtemos uma geometria pronta para iniciar o projeto ferramental.

Com estes dados, o responsável por desenvolver o conjunto de ferramentas pode corrigir automaticamente a contração da parte injetada obtendo a geometria do molde que será fabricado, transferindo de modo automático para as máquinas que irão produzir o conjunto de ferramentas. Uma vez que a ferramenta está pronta, o try-out é iniciado, injetando as primeiras partes. Com medições tridimensionais através de digitalização 3D, é possível ter uma nuvem de pontos medidos e, em seguida, compará-los com o arquivo 3D do produto, avaliando automaticamente se as dimensões das amostras estão corretas de acordo com as tolerâncias. É possível utilizar os dados resultantes da medição para automatizar a correção do ferramental, sem necessidade medir cada uma das dimensões separadamente. Esta é uma vantagem enorme em tempo e recursividade nos projetos.

Finalmente, após a correção de ferramentas, nova medição e aprovação com menor recorrência, o próprio arquivo 3D pode ser utilizado como documentação para o controle da qualidade das peças, registrando em 3D e visualizando esses arquivos em monitores 3D. Isso já é uma realidade que traz competitividade, velocidade e eliminação da falha e recursividade na industrialização do produto.